Filme Precisamos falar sobre o Kevin (Resenha)

14:01:00





                                                                               






Direção: Lynne Ramsay
Roteiro: Lynne Ramsay (roteiro)Rory Kinnear (roteiro)Lionel Shriver (romance)
Gênero: Drama/Suspense
Origem: Estados Unidos/Reino Unido
Duração: 112 minutos
Tipo: Longa-metragem








Sinopse

Eva (Tilda Swinton) mora sozinha e teve sua casa e carro pintados de vermelho. Maltratada nas ruas, ela tenta recomeçar a vida com um novo emprego e vive temorosa, evitando as pessoas. O motivo desta situação vem de seu passado, da época em que era casada com Franklin (John C. Reilly), com quem teve dois filhos: Kevin (Jasper Newell/Ezra Miller) e Lucy (Ursula Parker). Seu relacionamento com o primogênito, Kevin, sempre foi complicado, desde quando ele era bebê. Com o tempo a situação foi se agravando mas, mesmo conhecendo o filho muito bem, Eva jamais imaginaria do que ele seria capaz de fazer.

Resenha

O que dizer desse filme? Achei fantástico. Cada cena, cada acontecimento te prende na cadeira até o fim do filme. O filme "Precisamos falar sobre o Kevin" é uma adaptação do romance homônimo que foi escrito pela norte-americana Lionel Shriver.



O filme se inicia mostrando Eva na sua vida atual como uma mulher sozinha, desempregada, e uma grande marca de um passado sombrio, por que não dizer terrível ou cruel? Ela tenta se "adaptar" a sua nova vida aos poucos, tentando sobreviver aos frequentes maus tratos por outras pessoas a sua volta. O fruto desse sofrimento e melancolia que existe na protagonista vai sendo mostrado no filme por meio de flashbacks. A partir disso você vai entendendo de que forma tudo aconteceu, a história com seu marido Franklin e seu diabólico filho Kevin desde o momento do seu nascimento até sua adolescência.


No começo quando Eva fica grávida você percebe a repulsa dela em relação a criança, ela não queria ter tido esse filho de fato. Depois que Kevin cresce mais um pouco a dificuldade de Eva cuidar dele  aumenta cada vez mais, como uma cena em que  Kevin ainda bebê desesperadamente não para de chorar e ela fica com o berço perto de uma britadeira só para não ter que ouvir o barulho do choro. O filho sempre se mostrou "estranho" desde o começo, indiferente com a mãe apesar de ter uma boa relação com Franklin. Franklin se mostra totalmente alheio as "maldades" do seu filho com a mãe, em muitas tentativas ela o tenta alertar com relação a isso, mas todo esforço é em vão e a situação ainda começa a piorar com o nascimento da segunda filha, que ao contrário de Kevin, era uma menina doce e tinha uma ótima relação com Eva.


De fato, os "olhares", o "silêncio" que por muitas vezes são mostrados no filme tem bastante peso na história, você "sente" algo e não consegue mais tirar os olhos do filme que também possui constantes momentos de suspense. Fiquei bastante receosa para saber o que ia acontecer depois e me surpreendi a cada novo acontecimento que ia sendo mostrado no passado de Eva.

Acredito que "Precisamos falar sobre o Kevin" seja um filme que nos permite viajar deixando que a nossa imaginação flua de forma brutal, dolorosa e dilacerante. Ficamos procurando dar explicações para o comportamento tão cruel de Kevin, qual seria a razão da sua maldade? A forma que sua sua mãe o criou? Ou é simplesmente por prazer? Para mim, achei que tal maldade não poderia ser explicada dessa forma, é algo simplesmente "surreal" e o ser humano é bastante complexo com suas questões psicológicas que na realidade acabam se tornando uma grande incógnita para se ter uma justificativa tão simples.

Super recomendo esse filme!E espero comprar o livro que deu origem ao filme em breve.

Trailer


Classificação(5 de 5)







Gostaram? E pra quem assistiu quais conclusões tiraram?

até a próxima!

You Might Also Like

11 comentários

  1. Esse filme tem um livro, não é mesmo? Eu já tinha visto críticas a respeito do livro e não do filme.
    Mas gostei bastante do que li, viu? Assim que eu ler o livro, vou correndo ver o filme.

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  2. Parece ser bem pesado né? Eu tenho muita curiosidade para saber mais sobre esse filme, mas antes quero ler o livro!
    Adorei a sua resenha do filme.


    beijos
    Luana - Lendo ao Luar

    ResponderExcluir
  3. Ai que medo. Não consigo imaginar um relacionamento onde a mãe trata o filho assim. Acho que pq sou mãe e sou um grude com minhas princesas, qualquer comportamento diferente me assusta rsrsrs
    Ainda nao vi o filme e nem li o livro, mas fiquei curiosa apesar de meio abismada rsrsrs

    Bjokas

    Flavia - Livros e Chocolate

    ResponderExcluir
  4. Oi, não conhecia esse livro, mas ele parece se bem interessante. Gostei do enredo, do trailer e da sua resenha. Gosto de suspense/drama e essa parece ser uma boa pedida.

    Abraços
    http://entrepaginasdelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde :)
    Esse livro eu não conhecia :O
    Parece ser diferente..quero dar uma olhada :)

    Obrigado pela visita :)

    Beijos e cuide-se

    RIMAS DO PRETO

    ResponderExcluir
  6. Obrigado pela visitaa, me deixou curiosoo para ver este filme.

    Sempre que puder vou estar passando por aqui, beijos :D

    http://tematoa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi, também já estou seguindo seu blog. Obrigada por visitar o meu!

    Desde o ano passado tive curiosidade em ler o livro em que este filme foi baseado. Porém não fiquei curiosa o suficiente para comprá-lo.
    Agora despertasse ainda mais meu interesse.
    (Sempre leio os livros antes dos filmes, e vc? hehe)

    Bjos, boa semaninha!

    ResponderExcluir
  8. Oi..

    Amei o seu blog.. Vou seguir ele, se quiser retribuir o meu blog é esse http://viciadaemromancess.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Adorei a resenha, também estou louca pra ler esse livro, depois vou querer assistir o filme pra comparar.

    ResponderExcluir
  10. Eu comprei este livro na Saraiva hoje l pois tinha frete gratís. Eu sou fã da autora e fiquei curiosa para ler este livro logo depois da sua resenha porque quero assistir ao filme.
    Bem , pesquisas apontam que não só ambiente influência.A índole é outro fator importante para a construção da personalidade. Entretanto,é algo complexo mesmo Mas quem sabe ele não sofra de disfunções cerebrais, isso o tornaria um psicopata pode ser uma possibilidade. Só lendo para eu tirar minhas conclusões .rs

    Abraços,
    Islayne

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Assisti esse filme ano passado após a recomendação de uma professora na faculdade. Apesar de ser um pouco perturbador, é um ótimo filme.
    Abraços!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visitinha,que sempre será muito bem vinda =)

Popular Posts

Instagram


Facebook